segunda-feira, janeiro 05, 2009

SE EU FOSSE VOCÊ 2



E o ano começou sem muita pompa nos cinemas, com filmes bem comerciais lotando as salas da cidade. E o que mais tem ocupado as salas é SE EU FOSSE VOCÊ 2 (2009), de Daniel Filho, seqüência do grande sucesso de 2006. Nesse intervalo de quase três anos, além da boa acolhida nas bilheterias, obtida com o primeiro filme, a seqüência ainda se beneficia do aumento da popularidade obtido com o mercado de DVD e com a exibição na televisão. Quando o primeiro filme passou nos cinemas, eu estava numa fase de preconceito com as obras do diretor. Tanto que também não fui ver A DONA DA HISTÓRIA (2004). Ambos os filmes, tive oportunidade de ver depois, em casa. E fui percebendo, a princípio, que os filmes de Daniel Filho são bem melhores do que seus trailers nos fazem julgar. E assim, já vi com um pouco mais de boa vontade MUITO GELO E DOIS DEDOS D'ÁGUA (2006) e O PRIMO BASÍLIO (2007). Gostei de ambos e vi o quanto o diretor era injustiçado e visto com má vontade, especialmente pela crítica mais "séria".

Em SE EU FOSSE VOCÊ 2, o cineasta e seu time de roteiristas surpreende ao trazer novas e boas piadas envolvendo a situação de troca de corpos dos personagens de Cláudio (Tony Ramos) e Helena (Glória Pires). Tony Ramos está cada vez melhor e mais à vontade em seu papel de "mulher", gerando situações engraçadas, como ele fazendo compras ou sendo assediado por outro homem. São demonstrações do quanto o ator faz falta no cinema brasileiro. Uma pena ele ter dedicado quase toda sua carreira às telenovelas. Por mais que a telenovela seja um aprendizado para um ator, não deixa de ser uma forma de arte menor.

Para não ser um mero repeteco do primeiro filme, SE EU FOSSE VOCÊ 2 traz uma novidade no enredo: a gravidez da filha de Cláudio e Helena, gerando o conseqüente casamento às pressas e a entrada em cena dos pais do rapaz, interpretados por Chico Anísio e Maria Luisa Mendonça. Quer dizer, mais gente de primeira para abrilhantar o elenco, que só cai quando entra em cena a Adriane Galisteu. No mais, o restante do elenco de apoio vem para beneficiar o filme: Cássio Gabus Mendes, como o amigo advogado e mulherengo de Cláudio; Marcos Paulo, como o advogado de Helena, primo e rival de Cláudio; e Ary Fontoura, como o padre chorão que celebra o casamento.

O filme tem alto grau de despretensão e uma edição rápida, mal dando tempo para o espectador pensar. Não que haja algo em que pensar. Diferente do primeiro filme, que mostrava a dificuldade do casal em lidar com os problemas profissionais e de ordem mais íntima, a seqüência mostra os dois em seu tempo livre. Destaque para a cena de Tony Ramos (Helena no corpo de Cláudio) tentando jogar futebol ou fazendo compras. Já Glória Pires não chega a ser tão engraçada quanto o colega, mas cumpre bem o seu papel, às vezes servindo de escada para o humor de Chico Anísio, como na cena do vômito ou do baile. E o sucesso de SE EU FOSSE VOCÊ 2 é tão garantido que até anunciam um terceiro filme nos créditos finais.

Nenhum comentário: