quarta-feira, maio 24, 2006

SEINFELD - 4ª TEMPORADA (Seinfeld - Season 4)


A quarta temporada de SEINFELD, que foi ao ar nos EUA de dezembro de 1992 a maio de 1993, é considerada por muitos a melhor e mais engraçada. Por isso que resolvi começar a minha coleção de DVDs da série logo por ela. E não me arrependi de ter comprado a caixa. Pelo contrário, foi uma das melhores aquisições que eu já fiz. SEINFELD é o tipo de série que a gente vê e revê diversas vezes e continua rindo das piadas. Que não perdem a graça jamais.

Com o tempo a gente passa a simpatizar mais e mais com os quatro personagens - Jerry, George, Elaine e Kramer. Jason Alexander, como o George, é simplesmente sensacional. Seu personagem é o mais mesquinho e tem episódios que valem por ele, como aquele em que ele vai para o velório do pai de uma namorada e pede um desconto à companhia aérea por morte na família. A trama principal desse episódio ("The Implant") nem é tão engraçada, mas a parte do George é impagável.

A quarta temporada foi revolucionária em diversos aspectos. Antes de tudo, foi a primeira vez que uma série falou abertamente sobre masturbação e ainda mostrou a mulher como adepta dessa prática da mesma forma que o homem (em "The Contest"). Em outro episódio ("The Outing"), os roteiristas conseguiram se sair de uma forma genial da perseguição da era do politicamente correto, no que se refere ao preconceito contra os homossexuais, com a famosa tirada "not that there's anything wrong with that" (não que haja algo de errado com isso). Essa frase ficou tão famosa que até hoje é usada por muita gente - inclusive eu.

Eleger um top 5 dessa temporada é uma tarefa ingrata, mas vou tentar fazer assim mesmo. Eis meus episódios favoritos dessa fantástica temporada.

1. "The Cheever Letters". Esse episódio tem um dos finais mais engraçados da série, com a Elaine saindo do apartamento do Jerry e mostrando que sabia bem mais do que ele imaginava. A cena do Jerry narrando para o George o momento de intimidade que tivera com uma namorada é de se mijar de rir. E ainda tem as tais cartas de Cheever do título, que garantem um outro momento inesquecível.

2. "The Movie". Os quatro amigos marcam para ir ao cinema. Mas tudo dá errado e eles começam a se desencontrar um do outro. Excepcional o senso de timing desse episódio. George, novamente, nos presenteia com momentos de ouro.

3. "The Bubble Boy". Olha o George aí de novo no melhor momento. Quando ele joga uma partida de um desses jogos de mesa com o garoto doente que vive numa bolha. Mours! Moups!

4. "The Outing". Esse é o tão famoso episódio em que todo mundo acha que Jerry e George são gays. Não que haja algo de errado com isso.

5. "The Contest". Outro episódio histórico. Depois de ter sido pego pela própria mãe se masturbando enquanto olhava uma revista de lingerie, George fica tão traumatizado que diz que nunca mais irá fazer isso novamente. Duvidando disso, os três amigos resolvem fazer uma aposta entre si. Ganha quem conseguir ficar mais tempo sem se "aliviar". E o legal é que em nenhum momento a palavra masturbação é citada.

Ainda poderia citar outros episódios excepcionais como "The Pilot", o duplo que encerra a temporada; "The Opera", que traz o personagem de um maníaco, o Crazy Joe; ou "The Old Man", com Jerry, George e Elaine tentando ser pessoas melhores, ao cuidar de pessoas idosas.

Estou doido pra comprar logo outra caixa com mais episódios de SEINFELD. Estou de olho na quinta temporada. Essa tem o famoso "The Opposite", com George fazendo exatamente o contrário de tudo que costumava fazer. Tem sitcom melhor do que SEINFELD? Não tem mesmo. E provavelmente nunca haverá.

Nenhum comentário: